“Mixar a Vida”

Embora viver às vezes seja algo muito sofrido, devemos acreditar que “existe uma força maior que nos guia”. (JN/PCP) e que nada acontece por acaso, sem motivo. Ninguém no mundo quer ter um destino ruim, mas é exatamente em nossos desejos materiais que o papai do céu trabalha. Posso afirmar que é em nosso ato de desejar que se encontra o grande segredo da nossa verdade absoluta, nua e crua. Nosso desejo é quem revela o que realmente somos na essência. Que bom se você acredita em Deus, Ora! Isso sim nos leva a ter uma vida melhor e mais bonita, mesmo com grandes dificuldades. Falta em muitos de nós, o importante saber de mixar a vida com dosagens certas de um pouco de tudo sobre o todo, onde nada pode sobressair a nada; A menos que isto seja para um bem comum deste todo! Temos que aprender a equilibrar. Deus criou o mundo material com este propósito; “de nos fazer aprender a equilibrar a vida dentro de nós mesmos, através da nossa própria matéria”. Pense Nisso!

Isto é urgente!

É de suma importância a compreensão dos “fatos” para que as opiniões não estejam sobrepostas aos mesmos. No momento, nossa urgência é resolver os principais fatos que vão muito além das opiniões.
Precisamos de ações concretas que os resolvam definitivamente independentemente delas; Um deles é respeitar os valores de um cidadão comum com os mesmo direitos e deveres de todos os outros. Acontece que capacitado ou não para um determinado ofício, o cidadão da pele preta passa a ser simplesmente impedido de exercê-lo apenas por ser preto e isso é muito grave. Destarte, não é mais questão de opinião e sim de realidade dos fatos.

A razão de um fim “Página Virada”.

A volta poderia ter acontecido bem lá atrás, até antes mesmo de tudo ter ido tão a diante como se deu. Talvez a guerra tivesse sido necessária, dolorosa, porém necessária para só mais tarde, com passar do tempo, depois da poeira no chão enfim, desinchássemos o centro do peito onde se encontra o difusor de todos os sentimentos e dar de cara com a renovação eminente. Pois só o coração que sofre encoraja, enobrece e fortalece a mente. Tudo depende da pressão dos sons que até ele chega. Ainda existem muitas coisas no automático entre muitos de nós. Visões prontas das coisas, limitações no modo de pensar, expressar, e compreender, no sentir, e no agir e pior, nos faltou humildade; Não modéstia, que é o reconhecimento a altura de nós mesmo nas coisas as quais fazemos e fizemos muito bem e nem da falsa modéstia que é uma apreciação injusta sobre nossas qualidades. Julgamento insincero de nós mesmos com o propósito de evocar aquelas lisonjeiras aprovações alheias. Falo de humildade mesmo; No sentido de você saber o tanto que sabe, mas ainda tem muito que aprender e uma dessas coisas é reconhecer os próprios erros, e defeitos no mundo e na vida. Isso é muito importante. Faltou conversa, faltou perdão e faltou entender. Enfim, faltou amor. A gente até sabia o que faltava, sabia o que precisava ser feito, mas, deixamos nosso orgulho falar mais alto que a beleza da obra realizada, que a amizade, o carinho e todo o resto. Página Virada!

Analogia profissional. “O trem e a estação”.

“Separados apenas por uma simples linha tênue amarela, estão o trem e a estação.Definir qual desses dois é você, pode ser crucial para a construção de sua carreira profissional”.

A estação depende do trem, o trem não depende da estação. A estação escolhe o trem, o trem não escolhe a estação. O trem atende a todos, a estação a si própria, tendo o trem como parte de sua realização. O Trem é movimento, a estação é estação. O trem realiza o curso independente da estação. O trem pode ser interrompido por uma pane elétrica e morrer na estação e caso isso aconteça a estação não terá outra escolha a não ser morrer também.

Enquanto uma estação espera, o trem viaja por toda cidade atendendo sem distinção a todos os públicos. Seu sistema é sempre chegar na hora, correr chão e seguir o fluxo com precisão e fluência. Quando começa a andar não para no meio até chegar na próxima estação. Lembrando que “A estação escolhe o trem mas, o trem não escolhe a estação”.

O trem não pode se dar o luxo de querer viajar vazio ou cheio; transportar apenas passageiros pontais. Trazendo essa visão para a vida podemos notar que basta uma única linha tênue amarela para revelar essas duas personalidade totalmente diferentes. Trazendo isso para a vida, iremos perceber que o sistema de quem é profissional nunca será o mesmo sistema daquele que é amador.

No âmbito do profissionalismo, ou você é trem ou você é estação. E todo aquele que se vê um pouco de um e um pouco de outro, automaticamente se define como amador e jamais será um verdadeiro profissional. E aí, de que lado da linha amarela você está?

Idiossincrasia do Samba

  1. Com exceção aos instrumentos de marcação do compasso rítmico como Surdo, Tantanzao, Bumbo de Bateria etc… O Samba denota de uma interpretação livre dos demais instrumentos que compõe sua formação. Sendo assim, instrumentos como Repique de Mão, Tamborim, Pandeiro, Repique de Anel e outros, embora tenham grande atuação no tempo forte, desfrutam de certa liberdade de improvisação sobre a melodia, a célula rítmica e a voz principal. “O grande segredo do samba se encontra no swing das subdivisões que antecedem sua marcação principal fixada no segundo tempo do compasso binário, ou seja, tudo que acontece antes desse tempo dois é permitido desde que haja uma coerente habilidade de criação e execução de cada músico.

Idiossincrasia do Samba por (Maurílio de Oliveira)

Idiossincrasias – característica comportamental peculiar a um grupo ou a uma pessoa.

“LEALDADE”

Qual será nossa missão além de apenas estarmos e vivermos aqui neste mundo? Se a finalidade era que aprendêssemos sobre e com a vida, táí… mas, o que realmente sabem o inconsciente e o intuitivo? Qual será nosso único e exclusivo chão a não ser vivermos em sociedade, onde tudo começa, no mínimo com duas ou mais visões diferentes da mesma? Talvez porque se houvesse apenas um tipo de personalidade, de gostos e sensações, certamente não seria possível que a tal evolução ocorresse. “Visões e sensações diferentes de uma mesma situação”. Diante de tudo isso, quem pode estar certo ou não na vida? Acredito que viemos para exercitarmos a lealdade, um para com o outro. É onde Deus passará a enxergar aquele que é leal a si mesmo e aos outros ou seja, pessoa leal à outra, pessoa leal a ele. E todo o resto lhe continuará sendo invisível! Abra os olhos.

“Sucesso”

Sucesso não vem do nada mas sim, de uma semente plantada, de uma ideia bem dada e muito bem desenvolvida. Ele pode até ser coletivo, mas sempre terão uns que farão um tanto mais do que os outros. Sim, ele pode e até deve ser dividido, mas só depois de ser verdadeira, sincera e conscientemente reconhecido. Sucesso é ouvir as pessoas com atenção; entendê-las e agir. No ponto certo, do jeito certo e na hora certa. Sucesso não é sinal de perfeição e sim, de muitos erros e acertos. Se não é interno, é porque nunca existiu.

“8º edição do Quintal dos Prettos é dedicada a Zeca Pagodinho”.

Essa 8° edição Quintal dos Prettos é dedicada a Jessé Gomes da Silva Filho, o tão amado sambista, anjo da velha guarda, Zeca Pagodinho.

Sambista que trás em seu percurso musical uma infinidade de adjetivos apreciativos sobre sua pessoa que vão além até mesmo do artista.

Todos admiramos a simplicidade desse grande sambista. Porém a principal razão de dedicarmos esta edição a ele, no dia nacional do Samba é o fato de ser ele o artista que mais aproximou as gerações anteriores a ele às geração atuais.

Normalmente esse tipo de aproximação só ocorre no sentido ascendente e isso faz com a nova geração só tenha contato com o que está sendo produzido atualmente.

Já Zeca Pagodinho tem a maestria de atar as duas pontas, trazendo o antigo para o novo e o novo para o antigo. Com isso Zeca vem mantendo o Brasil abastecido de uma linguagem praticamente em extinção, aquela do partido alto dividido e malandreado, cheio de malemolência, com belíssimas histórias baseadas em fatos do cotidiano fazendo de Zeca um cronista do nosso Samba, daí o motivo de tanta identificação do povo brasileiro.

Ele não só fala por todos nós como também fala como todos gostamos de falar. “Camarão que dorme a onda leva”. Tem forma mais brilhante alertar o povo das enganações que vive no dia dia onde devemos ficar atentos o tempo todo? Pois é!

Falar de Zeca Pagodinho enquanto sambista seria mais do mesmo. Sua história está aí pra todo mundo ver, pois todos já sabem sua tamanha importância. Então fica aqui apenas o motivo que nos levou a esta dedicatória que vale muito a pena! Viva Zeca Pagodinho e muito obrigado pela contribuição. O mundo do samba agradece!!!

“Quintal dos Prettos e seus objetivos”

O objetivo do Quintal dos Prettos é valorizar as pessoas que amam e jamais desistirão do nosso país. É acreditar no Brasil e sem apenas copiar a cultura de outrem e sim, revitalizar e valorizar a própria. Jamais devemos ignorar as coisas boas que vem de fora porque o que é bom é para ser inserido na vida de todos nós por direito. Afinal de contas, também somos criadores de coisas benéficas que servem de exemplo ao mundo, porém a falta de crença em nós mesmos pode nos destruir e fazer com que olhemos o tempo todo para o outro até que nossa memória não nos identifique mais como nós mesmos. Daí resolvemos mais uma vez, dar um passo atrás afim de retardar um pouco mais a vista grossa, o preconceito, a desunião daqueles que só nos observam apenas para nos criticar negativamente ou reproduzir nossas ideias como se fossem deles. Foram vários anos resistindo à tentação do sucesso midiático, vários anos defendendo o samba na cidade, buscando entender cada movimento. Coisa que só aprende aquele que realmente “cola na banca” e entende de fato como o samba funciona e não apenas fala… fala… usando a visão de fora. A coisa é entrar no caldeirão para ouvir o outro lado também. Falta isso nessas pessoas. É isso que falta nessa gente que tem pra mostrar, mas não mostra por falta de iniciativa. Falta de trabalho voluntário, por medo de voltar atrás. Isso não nos permite avançar nem no mercado, nem em nada. Somos pessoas simples e guerreiras. Pessoas que realmente trabalham e acreditam no samba, coisa que muitos usam apenas em animação de festas e diversão daqueles que jamais veem a arte e principalmente o samba como profissão. Aí é jogo ganho, aí é jogo fácil. Não depende! Já nossa luta é seria, é diária. É pelo passado, pelo presente, e especialmente pelo futuro. Viva o Quintal dos Prettos e Salve as Crianças!!!